PROTEGENDO NOSSOS IDOSOS: muitas pessoas com demência são vitimas de abuso, algumas vezes chamados de maus-tratos do idoso.  Isto pode acontecer na casa do idoso, na casa de um familiar, numa casa de repouso ou numa clínica.  Descubra os indícios.  Descubra como você pode ajudar.

Antonio, 73 anos, teve um infarto.  Em consequência, desenvolveu-se uma demência vascular.  Como Antonio não conseguia cuidar de si mesmo, ele mudou para a casa do filho.  Seu filho, Davi, tentou ajudar, mas não estava em casa a maior parte do tempo durante a semana.  A nora dele, Francisca, cozinhava para ele e o ajudava com banho e vestir.  Mas Francisca já estava muito ocupada cuidando dos dois filhos adolescentes e trabalhando como professora no Fundamental l.

A princípio, todos estavam felizes que Antonio estivesse morando com a família.  Mas depois de alguns meses, Francisca sentia-se sobrecarregada e começou a gritar com Antonio.  Ninguém ajudava Antonio a se vestir até tarde no dia.  Antonio ficava aborrecido, mas não sabia o que fazer.

Maus-tratos podem acontecer a qualquer um – não importa a idade, sexo, raça, religião ou origem étnica e cultural.  Abuso pode acontecer em muitos lugares, inclusive na residência do idoso, na casa de um familiar, numa clinica ou numa casa de repouso.

Tipos de Abuso

  • Abuso físico acontece quando alguém inflige um abuso batendo, empurrando ou estapeando.
  • Abuso emocional, às vezes chamado de abuso psicológico, pode ser um cuidador usando palavras ofensivas, gritando, ameaçando ou repetidamente ignorando o idoso.  Outra forma de abuso emocional é impedir que a pessoa veja seus amigos ou parentes.
  • Negligência ocorre quando o cuidador não atende às necessidades do idoso.
  • Abandono é deixar o idoso sozinho sem nenhum planejamento para seus cuidados.
  • Abuso sexual é quando o cuidador obriga o idoso a ver ou participar de atos sexuais.
  • Abuso financeiro acontece quando dinheiro ou posses são roubados do idoso.  Isto inclui forjar cheques, apoderar-se da aposentadoria do idoso, e também seus cartões de crédito e contas bancárias ou fazer empréstimo consignado.  Isto também se refere à mudança de nomes num testamento, conta bancária, apólice de seguro ou posse de uma casa, sem a devida permissão do idoso.  Abuso financeiro é algo que está ocorrendo com frequência e difícil de detectar.  Pessoas que você nem conhece podem roubar suas informações financeiras usando a internet ou o email.  Seja cuidadoso quando estiver dando informações financeiras online – você não sabe quem está vendo.
  • Fraude nos cuidados de saúde pode ser cometida por médicos, funcionários de hospital e outros profissionais da saúde.  Isto inclui superfaturamento, cobrar duas vezes o mesmo serviço, falsificar pedido de reembolso ou cobrando cuidados não prestados.  Idosos e cuidadores devem ficar alertas para este tipo de fraude.

Depois que a mãe de Vitor morreu, ele procurou seus avós.  Seu avô tinha sido diagnosticado com problema cognitivo leve.  Sua avó recusou fazer qualquer teste cognitivo, mas mostrava claros sinais de início de demência. Vitor fez com que eles adicionassem seu nome na conta bancaria deles para que ele pudesse pagar suas contas.  Faz algum tempo que Vitor tira dinheiro da conta bancaria deles para seu uso próprio.   Ele se sente culpado, mas se convenceu que o dinheiro vai ser seu de qualquer maneira.

Quem está sofrendo abuso?

A maioria das pessoas abusadas são mulheres. Os alvos são sempre idosos sem família ou amigos, pessoas com deficiência, problemas com memória ou com demência.

Abuso pode acontecer com qualquer idoso, mas frequentemente com aqueles que dependem de outros para ajudar em suas atividades diárias, inclusive tomar banho, vestir-se ou tomar medicamentos.  As pessoas fragilizadas são as vitimas mais fáceis de abuso.

Quais os sinais de abuso?

Podem-se ver os sinais de abuso ou negligencia quando se visita um idoso em casa ou numa casa de repouso.  O idoso

·       Tem problemas para dormir

·       Parece confuso ou depressivo

·       Está perdendo peso se nenhum motivo

·       Mostra sinais de trauma, tal como balançar para frente e para trás.

·       Fica agitado e violento.

·       Fica apático

·       Para de tomar parte em atividades que sempre gostou

·       Tem hematomas, contusões, queimaduras ou cicatrizes.

·       Parece relaxado, com cabelos sem lava ou roupas sujas.

·       Aparecem escaras ou outras condições que podem ser prevenidas

Dois anos atrás, o médico diagnosticou que a mãe de Eduardo tinha a Doença de Alzheimer e estava no estágio intermediário da doença.  Quando ela ficou muito dependente, Eduardo internou sua mãe numa casa de repouso próxima.  Nos últimos meses ela tem estado depressiva e retraída.  E Eduardo não está satisfeito com a maneira com que uma das enfermeiras fala com ela.

Se você perceber sinais de abuso, tente falar com o idoso para saber o que está acontecendo.  Por exemplo, o abuso pode ser de um residente da casa e não um funcionário.  O importante é conseguir ajuda.

COMO AJUDAR

O abuso dos idosos não é interrompido sem alguma providencia. Alguém precisa intervir e ajudar.  Muitos idosos com demência não conseguem dizer que estão sendo maltratados.  Eles ficam envergonhados do abuso e tem medo que se falarem a pessoa que comete o abuso pode piorar seus maus-tratos.

Se você desconfia que alguém que você conhece está sofrendo abuso – fisicamente, emocionalmente ou financeiramente – fale com quem da família você acha que pode ajudar.  Você pode telefonar para a Delegacia do Idoso ou para o Conselho do Idoso de seu município.

As feridas físicas de maus-tratos saram com o tempo.  Mas qualquer abuso faz com que o idoso se sinta deprimido e com medo.  A vítima, às vezes, acha que o abuso é sua falta. Aconselhamento e grupos de apoio podem ajudar a pessoa a se curar das feridas emocionais.

Share: